top of page
  • Cityfarm

Compostagem: Transformando Resíduos em Recursos Valiosos


A compostagem é uma prática que tem se destacado cada vez mais como uma solução sustentável para lidar com resíduos orgânicos. Por meio desse processo, é possível transformar restos de alimentos, aparas de jardim e outros materiais biodegradáveis em um valioso adubo natural, chamado composto.


Existem diferentes tipos de compostagem, cada um com suas particularidades. A compostagem doméstica é uma opção acessível para quem deseja reduzir a quantidade de resíduos enviados para aterros sanitários. Nesse método, os resíduos são colocados em uma composteira, onde são decompostos por microrganismos em um ambiente controlado.


Já a compostagem em grande escala é utilizada por municípios e empresas para processar grandes volumes de resíduos orgânicos. Nesse caso, os materiais são coletados em separado e encaminhados para usinas de compostagem, onde são tratados e transformados em composto de qualidade, pronto para ser utilizado em jardinagem, agricultura e paisagismo.

Algumas cidades têm se destacado no Brasil quando o assunto é compostagem. São Paulo, por exemplo, já implementou um programa de compostagem doméstica e comunitária, incentivando os moradores a adotarem essa prática em suas casas e condomínios. Florianópolis também vem se destacando com ações voltadas para a compostagem de resíduos orgânicos, visando reduzir o volume destinado aos aterros sanitários.


No entanto, apesar dos avanços, o percentual de resíduos compostados no Brasil ainda é baixo em comparação com outros países. Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, apenas cerca de 3% dos resíduos orgânicos produzidos no país são compostados. Em contrapartida, a Califórnia, nos Estados Unidos, atinge uma taxa de compostagem de aproximadamente 50%. Essa diferença pode ser atribuída a diversos fatores.

Um dos motivos pelos quais a compostagem ainda não é amplamente adotada no Brasil é a falta de infraestrutura adequada. A compostagem em grande escala demanda investimentos significativos em usinas e equipamentos específicos, além de exigir conhecimentos técnicos especializados. Além disso, a falta de conscientização e informação sobre os benefícios da compostagem também contribui para a baixa adesão.

Os impactos negativos de enviar resíduos orgânicos para aterros sanitários são significativos. Quando os materiais orgânicos se decompõem em condições anaeróbias nos aterros, liberam metano, um potente gás de efeito estufa que contribui para as mudanças climáticas. Além disso, a destinação incorreta dos resíduos orgânicos desperdiça um recurso valioso que poderia ser utilizado na produção de adubo orgânico, diminuindo a dependência de fertilizantes químicos.

Outro fator a ser considerado são os contratos milionários que as prefeituras têm com empresas de coleta de resíduos. Muitas vezes, esses contratos priorizam a destinação dos resíduos para aterros sanitários.Compostagem por minhocas (vermicompostagem): Nesse método, as minhocas são utilizadas para acelerar o processo de decomposição dos resíduos orgânicos. As minhocas consomem os materiais biodegradáveis, digerem-nos e excretam um composto rico em nutrientes, conhecido como vermicomposto ou húmus de minhoca. Esse tipo de compostagem é adequado para ambientes domésticos ou pequenas escalas.

  1. Compostagem termofílica: Nesse processo, os resíduos orgânicos são decompostos por meio do calor gerado pela atividade microbiana. É necessário um controle rigoroso da umidade, da aeração e da temperatura para estimular a atividade dos microorganismos termofílicos. Geralmente, é utilizada uma estrutura fechada, como uma composteira ou uma pilha de compostagem, para manter as condições ideais. A compostagem termofílica é capaz de degradar materiais mais volumosos e resistentes, como galhos e restos de poda.

  2. Compostagem aeróbica: Nesse método, a decomposição ocorre em presença de oxigênio. Os resíduos orgânicos são regularmente revirados ou aerados para promover a oxigenação e a atividade microbiana aeróbica. Esse processo ajuda a acelerar a decomposição e reduzir a produção de odores desagradáveis. A compostagem aeróbica é amplamente utilizada em usinas de compostagem de grande escala.

  3. Compostagem anaeróbica: Ao contrário da compostagem aeróbica, a compostagem anaeróbica ocorre na ausência de oxigênio. Esse processo leva à produção de biogás, uma mistura de metano e dióxido de carbono. A compostagem anaeróbica é geralmente aplicada em usinas de tratamento de resíduos orgânicos, onde o biogás é capturado e utilizado como fonte de energia renovável.😒

 

Veja aqui algumas formas de compostar:

Compostagem por minhocas (vermicompostagem): Nesse método, as minhocas são utilizadas para acelerar o processo de decomposição dos resíduos orgânicos. As minhocas consomem os materiais biodegradáveis, digerem-nos e excretam um composto rico em nutrientes, conhecido como vermicomposto ou húmus de minhoca. Esse tipo de compostagem é adequado para ambientes domésticos ou pequenas escalas.

Compostagem termofílica: Nesse processo, os resíduos orgânicos são decompostos por meio do calor gerado pela atividade microbiana. É necessário um controle rigoroso da umidade, da aeração e da temperatura para estimular a atividade dos microorganismos termofílicos. Geralmente, é utilizada uma estrutura fechada, como uma composteira ou uma pilha de compostagem, para manter as condições ideais. A compostagem termofílica é capaz de degradar materiais mais volumosos e resistentes, como galhos e restos de poda.

Compostagem aeróbica: Nesse método, a decomposição ocorre em presença de oxigênio. Os resíduos orgânicos são regularmente revirados ou aerados para promover a oxigenação e a atividade microbiana aeróbica. Esse processo ajuda a acelerar a decomposição e reduzir a produção de odores desagradáveis. A compostagem aeróbica é amplamente utilizada em usinas de compostagem de grande escala.

Compostagem anaeróbica: Ao contrário da compostagem aeróbica, a compostagem anaeróbica ocorre na ausência de oxigênio. Esse processo leva à produção de biogás, uma mistura de metano e dióxido de carbono. A compostagem anaeróbica é geralmente aplicada em usinas de tratamento de resíduos orgânicos, onde o biogás é capturado e utilizado como fonte de energia renovável. A Cityfarm além de comercializar as hortas verticais para facilitar o cultivo onde não há espaço, trabalha com implementação de projetos de hortas com sistemas agroecológicos. E aqui a compostagem é fundamental para alimentarmos os solo e manter as plantas sempre saudáveis. "Depois que a gente começa a plantar e compostar, jogar um resto de alimento no lixo se torna cada vez mais difícil pois passamos a entender toda a energia gasta no processo e o quão valioso é esse recurso que deve retornar para seu ciclo natural.", comenta Rafael Pastor, fundador da Cityfarm.

Comments


bottom of page